quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Delcídio, um senador...


Aconteceu o que ninguém esperava. Pela primeira vez na história política do Brasil, um Senador da República, foi preso.


Hoje o Senador do Partido dos Trabalhadores (PT), Delcídio do Amaral, até então líder do Governo no Senado Federal, foi preso sob a acusação de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava-Jato.
No mesmo dia da prisão, de acordo com o protocolo, o Senado votou a situação, vencendo os votos pela permanência da sua prisão.


O Presidente Nacional do PT, Rui Falcão, disse em nota que o PT não se sente obrigado a ser solidário ao DelcídioA situação de Delcídio mudou depois que uma gravação, realizada no início de novembro, foi entregue ao Ministério Público Federal, por Bernardo, filho de Nestor Cerveró. No áudio, o senador propõe ajuda financeira e um plano de fuga do país ao ex-diretor da Petrobrás. Nestor Cerveró, que está preso. O plano seria para que este não fechasse uma delação premiada. O acordo, no entanto, foi feito, e gravado.


No pedido de prisão contra Delcídio, a Procuradoria-Geral da República argumentou que o delito do senador seria flagrante, pois ele integraria uma organização criminosa, o que é considerado um crime permanente, por estar se desdobrando em todo momento. O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a operação.


Certa vez em Cumbica (Guarulhos), embarquei em um avião com destino à Cuiabá. O avião faria escala em Brasília. Notei que a bordo estava  o senador em questão. A presença dele naquele avião pouco me causou curiosidade, pois já há alguns anos, eu já não aceitava o direcionamento ético e administrativo do seu partido.


E a Operação Lava-Jato segue em frente.



Nenhum comentário: