quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Eduardo Suplicy

 
Este senhor é um dos políticos que mais merece meu respeito e por muitas vezes mereceu o meu voto.
Caro Sr. Eduardo Suplicy, o senhor é um dos políticos mais honrados, dignos e merecedor de todos os elogios recebidos até hoje. Não consigo imaginar qualquer cidadão que tenha a coragem de levantar uma acusação quanto ao seu caráter enquanto político, defendendo os interesses da população paulistana enquanto vereador, da população paulista enquanto deputado estadual e de todo brasileiro enquanto deputado federal e senador.
É com tristeza que vejo a sua derrota na última disputa pelo senado, mesmo assim, vejo isso com previsibilidade e total compreensão. Falo, sobretudo por mim. Foi com lástima, mas com total certeza e argumento, que pela primeira vez eu não lhe dei o meu voto. Desde 1991, o senhor teve o meu voto, nas três eleições para senador, mas não agora.

Parece ser uma redundância dizer que Eduardo Suplicy é bom político. Trata-se de algo indiscutível, entretanto sua sigla, o PT, e seus correligionários, prestaram todo um desserviço à sua história política. Nos últimos meses, ver-lhe de mãos dadas em um palanque com Alexandre Padilha, Lula, Dilma Rousseff, entre outros, foi o suficiente para que eu tivesse a certeza de que o seu adversário receberia o meu voto. E assim ocorreu.

 O senhor sabe que, hoje, a grande maioria dos paulistanos e paulistas não quer mais o PT, seja em qual instância for, e me incluo nessa categoria. Foram inúmeras as vezes que eu o vi discordar do pensamento fluente do PT, inclusive publicamente, mesmo que sua postura permanecesse discreta e elegante. Cito a sua disposição enquanto presidenciável em 2001, a divergência com José Sarney, o descontentamento com os envolvidos no Mensalão, a sua colaboração para com a Rede Solidariedade, o asilo para Edward Snowden, e diversas outras situações que sugeriam a sua saída do Partido dos Trabalhadores, assim como muitos outros políticos fizeram a fim de manter a coerência, a ética, o argumento e inclusive o eleitor.


Parabéns pelo excelente trabalho enquanto senador nos últimos 24 anos, mas enquanto ainda estiver no Partido dos Trabalhadores, não terá mais o meu voto.



Nenhum comentário: