terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Direita e Esquerda



Há muitos anos era compreensível e lógico, distinguirmos a tendência, o comportamento ou até mesmo a filosofia política de um cidadão ou partido como sendo de, "esquerda" ou "direita". Não me cabe aqui neste texto agora abordar a origem destas definições. De qualquer forma, havia e eram muito utilizadas. O mundo, seus habitantes, seus pensamentos, suas posturas, seus ideais e suas denominações mudam (felizmente) com o passar do tempo. O mundo evolui, não necessariamente no sentido positivo. A evolução destrói estigmas filosóficos, religiosos, físicos, científicos, emocionais, psicológicos, racionais, instintivos e até mesmo metafísicos. Mas a evolução também constrói.
Prefiro agora não dissertar sobre as causas e consequências da evolução humana, mas sim ater-me às definições "esquerda" e "direita".
Deixo claro que, hoje não mais acredito nessa divisão estereotipada e maniqueísta entre o bem e o mal sendo paralelizados à direção política do indivíduo ou da cultura determinada da sua comunidade ou afins.
Meus caros, prestem atenção, estamos no ano de 2.013 e não podemos mais determinar as pessoas por seus avatares sociais. Não é mais possível, felizmente, determinar uma pessoa como sendo de "esquerda" ou "direita", sobretudo quando a intenção é pré-definir quem é "do bem" ou "do mal".

Se utilizarmos os conceitos e parâmetros do passado e aplicarmos no comportamento atual, o resultado será:

Direita: Egoístas.
Esquerda: Invejosos.

Direita: Preconceituosos assumidos.
Esquerda: Preconceituosos enrustidos.

Direita: Tem o poder e faz de tudo para manter.
Esquerda: Não tem poder algum e faz de tudo para ter.

Direita: Quando estão no poder, continuam sendo autoritários.
Esquerda: Quando chegam ao poder, tornam-se muito autoritários.

Direita: Adoram o dinheiro que tem.
Esquerda: Adorariam ter o dinheiro que a direita tem.

Direita: Os mais radicais são perigosos e violentos.
Esquerda: Os mais radicais são perigosos e violentos.

Direita: Atualizaram-se e seguem suas vidas, difundidos na sociedade liberal.
Esquerda: Pararam no tempo e insistem em acreditar que a esquerda ainda existe.

Direita: Muitos são amáveis e leais.
Esquerda: Muitos são amáveis e leais.

Direita: Levantam a bandeira do moralismo porque acreditam que aquilo é o que lhes faz bem.
Esquerda: Levantam inúmeras bandeiras porque não sabem exatamente o que lhes faz bem.

Direita: Transitam facilmente na ideologia política do Centro.
Esquerda: Transitam facilmente na ideologia política do Centro.

Direita: Durante muito tempo, esconderam-se por covardia e vergonha.
Esquerda: Ainda hoje, aparecem exaustiva e desnecessariamente.

Direita: Muitos respeitam a natureza e as regras sociais.
Esquerda: Muitos respeitam a natureza e as regras sociais.

Direita: Pratica um conceito estranho e perigoso quanto à liberdade.
Esquerda: Pratica um conceito compreensível e perigoso quanto à liberdade.

Direita: São discretos e não tentam me convencer de nada.
Esquerda: São expansivos e insistem em me fazer acreditar naquilo que eu não acredito.


Direita: Tem pouco a dizer e muito a fazer.
Esquerda: Tem muito a dizer e pouco a fazer.


Por que algumas pessoas ainda insistem em achar que o "bem" e o "mal" podem ser chamados "de esquerda" ou "de direita". Eu não acredito mais nisso. E você acredita?


Nenhum comentário: