segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

"Algumas crianças"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Algumas crianças não têm nome
Os sorrisos são tão tristes
Alguns homens não têm sobrenome
Os dias passam sem deixar pistas
Algumas crianças não têm pais
Se eu fosse te esperar já estaria contigo
Alguns homens não são humanos
Os gestos são palavras físicas
Algumas crianças nunca nos deixam
As palavras podem estar no fim
Alguns homens partem com medo
Assistem ao parto da covardia
Algumas crianças conhecem a paz
O amor é um anjo disfarçado
Alguns homens alimentam o egoísmo
A crueldade suja a alma
Algumas crianças brincam com a esperança
Minha reza tenta te proteger
Algumas crianças partem cedo
As saudades não resistem à solidão
Alguns homens têm pesadelo
Sonhos não sobrevivem sem força
Algumas crianças amam sem saber
Não tentaram desistir
Alguns homens esqueceram de viver
O maior adversário agora sorri no espelho
Algumas crianças ainda estão aqui
Acreditar é lutar contra a maldade
Algumas crianças irão vencer.

Uma linda criança
Não precisou pedir perdão
Não teve tempo para despedir
Desviou-se da culpa
Nunca soube pedir ajuda
Foi embora sem olhar para trás
Correu o seu caminho
Conheceu a dor
Passou longe do pecado
Aceitou as desculpas
Uma criança que tentou vencer

sábado, 13 de dezembro de 2008

"Pedaços quebrados"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Pedaços de cacos no chão
Estilhaços em cacos
Pedaços de aço
Elos de gelo
Em tulhas
Entulhos de cacos no chão
Estilhaços quebrados de aço
No chão molhado
Por elos de gelo
Elos de aço são correntes
Estraçalhadas
Correntes são de aço
Entrelaçadas
Entre laços
Entre si
Estilhaços quebrados de cacos
Em pedaços entre si
Entrelaçados são espalhados
Em tulhas
Entulhos são sempre cacos
Quebrados
Quais braços são de aço?
Aço em pedaço no chão?
Destroços entre si
Entre entulhos e poços
Entre si
Entre sem bater
Correntes são elos
No chão molhado de elos
Mas não de aço, de gelo
Quebrados e secos
Cacos de gelo seco
Caco seco
Entre caco seco
Caconseqüente
Entre caco seco quente
Cacoseqüente
Cacosecuente
Quebrado em pedaços no aço
Molhado com gelo seco
Destroçado pelo aço quente
Agora em cacos


sábado, 26 de julho de 2008

"Os olhos daquele homem"

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Hoje é o dia do nascimento de muitas pessoas
Estão chegando de longe
Vem de longe
Não sei bem o que houve
Eu estava longe
Há muitos anos atrás você nascia

Você acha que faz o bem?
Suas lágrimas caem por quem?
Destila inveja por alguém?
Você não conhece os olhos daquele homem.

São bonitas as palavras que você diz?
Ser egoísta te faz feliz?
A verdade é o que você sempre quis?
Você não conhece os olhos daquele homem.

Nos seus desejos existe a paz?
Há justiça naquilo que você faz?
Você sabe o que o amor traz?
Você não conhece os olhos daquele homem.


domingo, 15 de junho de 2008

"Labirinto"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Passei pelas trilhas dessa mata
Andei em círculos sem fim
Repeti palavras difíceis
Esgotei as cartas do baralho
Fiz a cópia de todas as chaves
Achei o resultado da equação
Tentei desde o começo
Paguei e não pedi o troco
Pedi perdão sem ter vergonha
Recebi conselhos que já se foram
Rezei para todos os santos

Demorou, mas aprendi
Decorei os caminhos desse labirinto
Agora eu saio quando eu quiser

Pulei as sete ondas
Olhei para todos os lados
Escalei a mais alta das montanhas
Fiz a mais longa das viagens
Olhei nos olhos de Jesus Cristo
Contei todos os meus segredos
Segui as placas pela estrada
Desfiz todos os nós
Reprovei em muitos testes
Li o livro até o fim
Tive sonhos de madrugada

Demorou, mas aprendi
Decorei os caminhos desse labirinto
Agora eu saio quando eu quiser

Nadei em mar calmo
Esqueci as regras que aprendi
Devolvi tudo o que não era meu
Gritei em nome da dor que me calava
Olhei para cada estrela
Brilhei quando o Sol me alcançou
Perdi algumas batalhas
Derramei todas essas lágrimas
Acordei em camas diferentes
Respondi até o que eu não sabia
Percebi que nem todos estão vivos

Demorou, mas aprendi
Decorei os caminhos desse labirinto
Agora eu saio quando eu quiser

Comprei flores de todas as cores
Senti amor por todas as flores
Colori todos os meus amores
Esbarrei na violência
Achei o que eu nunca procurei
Caí na armadilha da verdade
Vivi como quem acaba de nascer
Dei o que eu não esperava ganhar
Matei o resto da paixão
Sorri quando lembrei de ti

Demorou, mas aprendi
Decorei os caminhos desse labirinto
Agora eu saio quando eu quiser

quarta-feira, 28 de maio de 2008

"Todos os caminhos são você"

Para a minha loira C. Marcela

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Sol brilhando por todos os lados
Assim são nossos dias
Juntos demais, cada vez mais
Todos os caminhos são você
Prefiro seguir o seu caminho
Quero estar contigo
Lua iluminando todas as direções
Prefiro te seguir
Sei onde você me levará
Seu sentido, suas linhas
As palavras são também forças
Seus rumos, seus horizontes
As respostas são também vitórias
Minha necessidade é ter você
Minha briga é para ser seu
Todos os caminhos são você
Minhas mãos saem dos seus braços
Meu coração bate no seu corpo
Seus olhos brilham no meu rosto
Sua voz passa pela minha boca
Desejo você cada vez mais
Desejo mais, você
Todos os caminhos são você
Entenda minhas palavras por nós
Veja meus sonhos por nós
Perdoe o meu imenso amor
Minha felicidade é toda sua
Agora sabemos o que é verdade
Paixão constante vinda do mar
Sopra o vento em nós
Trazendo os nossos caminhos

quinta-feira, 15 de maio de 2008

"Além do avião"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Quando olhei para o céu encontrei um avião e ao redor dele estava a imensidão
e mais distante estavam as estrelas
maiores que todos os aviões do céu.
E maior que as estrelas eram suas luzes.
Quando percebi que pude enxergá-las
à olho nu
à mente nua.
E mais distante estava o Universo
maior que ele, era o meu pensamento.
Muito mais distante.
E após isso o avião se moveu
com o mesmo tamanho.
E mais distante estavam os outros
Quando não encontrei ninguém
Então vocês não estavam lá.
Além do pensamento encontrei meu sentimento.
Pensei estar em órbita.
E mais distante estava o que eu não conhecia.
O fim parecia estar fora do meu alcance.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

"Expulsão"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Se pudéssemos enxergar o vento, como ele seria?
Poderia ter a cor dos seus olhos
Seria maior que o seu ódio
Haveria apenas destroços

Se pudéssemos apagar a luz, como ela seria?
Disfarçaria seus abraços falsos
Machucaria pés descalços
Explodiria mentes em pedaços

Se pudéssemos calar a voz, como ela seria?
Perdida, soaria mais fria
Em silêncio, dormiria de dia
Calada não seria, logo viria

Se pudéssemos destruir a inveja, como ela seria?
Expulsa por ventos fortes
Afastada por raios de luz
Pelos ecos da minha voz

terça-feira, 6 de maio de 2008

"Paciência"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Não dá para esperar o tempo passar
Enquanto isso, penso
Enquanto penso, enlouqueço

Não dá para esperar a loucura passar
Enquanto isso, descanso
Enquanto descanso, amo

Não dá para esperar o amor passar
Enquanto isso, respondo
Enquanto respondo, passo perigo

Não dá para esperar o perigo passar
Enquanto isso, construo
Enquanto construo, corro risco

Não dá para esperar o risco passar
Enquanto isso, desafio
Enquanto desafio,respiro

Não dá para esperar a respiração passar
Enquanto isso, conheço
Enquanto conheço, esqueço

Não dá para esperar o esquecimento passar
Enquanto isso, nado
Enquanto nado, sinto

Não dá para esperar o sentimento passar
Enquanto isso, apareço
Enquanto apareço, venço

Não dá para esperar a vitória passar
Enquanto isso, elevo
Enquanto elevo, apaziguo

Não dá para esperar a paz passar
Enquanto isso, desvio
Enquanto desvio, lembro

Não dá para esperar a lembrança passar
Enquanto isso, desperto
Enquanto desperto, corro

Não dá para esperar a correria passar
Enquanto isso, acelero
Enquanto acelero, encerro

Não dá para esperar o encerramento passar
Enquanto isso, continuo
Enquanto continuo, perco tempo.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

"Sombras"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Sombra sobre sombra, o que você vê é deformado
Forma sobre forma, o que você enxerga é sombreado
Espaço sobre espaço, o que você sente é impressão
Corpo sobre corpo, o que você deseja é ilusão
Imagem sobre imagem, o que você toca é vazio
Som sobre som, o que você expressa é delírio
Sonho sobre sonho, o que você acha é perdido
Brilho sobre brilho, o que você tem é relativo
Raio sobre raio, o que você pensa é físico
Pedra sobre pedra, o que você pisa é destino
Chão sobre chão, o que você abre é trancado
Porta sobre porta, o que você liberta é real.

Saudades soberanas dominam o meu ímpeto

Palavras voadoras aterrissam na minha mente

Mãos divinas acariciam meu rosto

Ventos que sopram forte me trazem o sono

Vozes suaves me explicam o sorriso

Portas abertas me levam para bem longe.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

"Uma ciência"


autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Isso aqui na minha cabeça
É uma ciência
É uma revolução enrustida
Talvez o início de uma grande descoberta
Uma virgem excitada
Um alvo sem tiro
É uma provocação discreta
Um grito de boca fechada
É uma floresta escondida
Porém, é mesmo assim
Uma palavra secreta
Ainda assim eu fiz
O que quis com minha cabeça
O que fiz com minha cabeça
Nada diz respeito
É um estudo minucioso
É um ímpeto
Um desejo sexual
Uma crítica construtiva
Uma ordem à liberdade
Um desastre social
É uma sorte disfarçada
Uma saída escondida
Não importa
Uma passagem misteriosa
Uma mente desorganizada
É um fato
Mesmo assim, eu fiz
É uma explicação
Uma frase silenciosa
Uma defesa calada

quarta-feira, 9 de abril de 2008

"Odisséia"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Se o que eu faço faz você pensar, continuo fazendo.
Faz o seu cérebro rasgar, os neurônios arrebentar. Os distúrbios são comuns quando os anúncios são raros.
Os olhos virar e por dentro explodir as razões que não existem. Não existe ninguém que possa saber quem é quem numa situação de total simplicidade e complexidade ao mesmo tempo. Não perca seu tempo ouvindo barbaridades, cometendo estranhezas, desprezando certezas.
Dúvidas do que eu faço não me fazem parar de fazer o que assusta quem tem dúvida de mim. Nem quem não tenha o que fazer.

O tempo que passa, esmaga, passa, estraga, amassa, e depois voa, mas passa. Fica aqui, sai daqui e volta aqui. Passa.
O tempo e todos nós.
Acabamos com o verbo, pisamos no chão sem acento, o caos sem conserto, a anarquia que alivia minha alma.
A ilusão passa pelo seu mundo, você não percebe, se casa, se cala, se cansa, se abala, se mata. Não percebe a dose exagerada de palavras que invadem sua mente.
Não entende nada. Nada. Nada. Nada.

Se o que você vê faz você desmaiar, desconsertar, quem sabe desistir de ver o que não dá para qualquer um ver, e ter, e ser. Não saber quem é quem.
Quem está lá fora olhando para nós. Quem sabe não é ninguém, é apenas um vulto, um surto, um desespero, um susto, uma tranqüilidade total.
Talvez não haja certeza de quem esteja olhando por nós, orando por nós, gorando por nós, gozando, posando, nos abençoando.
Desmoralizando cada um de nós, acalmando todos nós. Então deve haver uma escolha, uma chance de escolher quem me desmoraliza e quem me acalma.
A anarquia me acalma.
Parar em frente sem entender, sem prever, reconhecer e de repente correr.

O homem que quer a mulher, e o sentido do sexo, o outro sexo, o mesmo sexo, o teu sexo, e a mulher que quer o homem.
De vez em vez me esquecer, me merecer, me escolher, desmerecer, apodrecer.
É a cor, a dor, amor, a flor, sabor, pudor em saber rimar, e errar a mesma rima.
Arrumar, errar, arruinar a mesma rima.
Se o que eu faço faz você pensar, continuo fazendo.


terça-feira, 8 de abril de 2008

"Ao mar"

foto por: Her Filho

autor: Her Filho (Direitos Registrados)

Fomos ao mar, muito longe, ao Sul
Para nos encontrarmos sozinhos
Voltamos, muito rápido, pela estrada
Para trocarmos emoções
Estamos em casa, muito perto, aqui
Para sermos um do outro
Iremos além, muito longe, daqui
Para descobrirmos a vida juntos

Espero sua pele tocar a minha
Seu olhar ultrapassar o meu
Desejo sua boca sendo minha
Seu abraço sendo o meu

Um encontro inesperado, veio o beijo
Um sorriso sincero, nasceu a paixão
Um mistério fascinante, o medo
Na velocidade do vento, nasce um amor

Espero suas palavras soarem
Sua história por mim contada
Desejo ser seu futuro
Sua alegria verdadeira

Duas almas se entregando, veio a certeza
Dois destinos se cruzando, o mesmo caminho
Dois desejos se conhecendo, veio a resposta
Duas pessoas se aproximando, nasce um amor